domingo, 7 de maio de 2017

Prorrogação do prazo de entrega de documentos para a elevação ao Grau 33.

No dia 04 de maio de 2017, a Administração do Consistório Nº 1 obteve, junto ao Grande Secretário de Finanças do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito, a concessão para a prorrogação até o dia 25 de maio de 2017, para a entrega dos trabalhos, documentos e pagamentos de taxas relativas à Sessão de Elevação ao Grau 33, a qual será realizada no dia 03 de junho de 2017.
            Deste modo, os maçons do Grau 32, regulares junto a este Supremo Conselho e que estejam aptos a essa elevação de Grau, tiveram ampliados seus prazos de preparação da devida documentação, ao final da qual deverão dirigirem-se à Administração do Consistório Nº 1, a fim de finalizarem as necessárias providências relacionadas às suas elevações ao Grau de Grande Inspetor Geral.

Não percam esta oportunidade!

Maçons elevados ao Grau 31 em 17.04.2017.


   Segue abaixo a relação dos dezoito maçons elevados ao Grau 31 na Sessão Magna de 15 de abril de 2017:
01 - ALEXANDER KAMMERER
02 - ALEXANDRE RAFAEL
03 - GLAUBER CUNHA DA FONSECA
04 - SÉRGIO DOMINGOS DE OLIVEIRA
05 - LUIZ CARLOS VITALI
06 - SÉRGIO ARAÚJO DE OLIVEIRA
07 - VAILSON TAVARES LESSA
08 - CELSO LUIZ DA SILVA LINO
09 - FERNANDO JOSÉ SILVA RODRIGUES DA SILVEIRA
10 - CLAUDIO MAKAROVSKY
11 - SAULO EDUARDO ZARDI DUARTE
12 - OSVALDO DA COSTA FERREIRA
13 - FRANCISCO NILTON COSTA
14 - ISRAEL FERREIRA COSTA
15 - JOSÉ AARÃO BRITO MAGNAN DE ARAÚJO
16 - MÁRIO CARLOS CORREA FILHO
17 - LÉLIO GALDINO ROSA
18 - MANOEL RIBEIRO DE MARINS FILHO
Maçons elevados ao Grau 31 em 17 de abril de 2017.
       A Administração do Consistório Nº 1 parabeniza os novos Grandes Inspetores Inquisidores Comendadores (Grau 31) e os concita a permanecerem firmes nas suas caminhadas maçônicas.

Sejam bem vindos aos Graus Administrativos!

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Entrevista do maçom JOÃO GUERREIRO para A Voz do Escriba na TV

      Segue abaixo o link para a entrevista do maçom JOÃO GUERRERO FILHO, Presidente da Augusta Loja de Perfeição Cruzeiro do Sul, para o canal do Youtube "A Voz do Escriba na TV".



terça-feira, 8 de novembro de 2016

Os antigos templos hebreus destinados ao culto a Yahweh e o Rito Escocês Antigo e Aceito

     De acordo com a tradição hebraica, a partir do chamado de Yahweh (o Deus Único dos hebreus), Abraão partiu com a sua família da cidade antiga de Ur, na Mesopotâmia (aproximadamente no ano 2.000 a.C.)  rumo a Siquém (ou Sechem), na Palestina.
mar morto
Após sair de Ur, Abraão e sua família dirigiram-se a Haran (ou Harã) e seguiram para Siquém. De Siquém, os hebreus dirigiram-se para o Egito, de onde foram expulsos pelo faraó e retornaram para a Palestina, fixando-se em Hebron.
    Esse clã conduzido por Abraão é considerado o primeiro grupo hebreu, pois agia segundo a vontade do Deus Único dos hebreus (Yahweh). Em razão desse fato, Abraão é considerado o primeiro patriarca do Povo Escolhido.
maçonaria
A travessia do Mar Vermelho foi um
 episódio marcante na libertação
 dos hebreus da escravidão no Egito.
    O livro do Gênesis relata que Jacó (ou Israel), neto de Abraão, alguns anos mais tarde, mudou-se com o povo hebreu, da Palestina, onde havia uma grande seca, para o Egito onde, mais tarde, os hebreus tornaram-se escravos dos egípcios.
    Com a libertação dos hebreus da escravidão no Egito (em torno do ano 1.250 a.C.) e sua partida para Canaã (ou Terra Prometida), o culto a Yahweh passou a realizar-se numa tenda portátil, própria para essa adoração, chamada Tabernáculo.


Link explicativo sobre o => Tabernáculo

    Essa tenda era transportada juntamente com os objetos sagrados, durante o percurso dos hebreus no deserto.
maçonaria

     De acordo com a Bíblia, após o povo hebreu fixar-se na Palestina e formarem um reino, com a capital em Jerusalém, foi possível a construção de uma edificação em alvenaria, onde o culto pudesse ser realizado. 
   A tradição maçônica afirma que essa edificação foi mandada construir pelo rei Salomão (aproximadamente no ano de 960 a.C.), em parceria com Hirão, rei da cidade fenícia de Tiro, e sob a direção do mestre-arquiteto Hiram Abiff. Essa construção recebeu o nome de Templo de Jerusalém (ou Templo de Salomão, ou Beit Hamikdash).
     Alguns séculos após o reinado de Salomão, a Palestina foi invadida pelos babilônios, o Templo de Jerusalém foi destruído (aproximadamente no ano de 586 a.C.) e os hebreus levados como escravos para a Babilônia (Primeira Diáspora Judaica).
       Com a destruição do Templo de Jerusalém, os hebreus no exílio passaram a realizar seus cultos em residências e em outros espaços, dando origem ao surgimento das sinagogas.
Uma das antigas práticas das sinagogas é  a leitura da Torá, manuscrita
da direita para a esquerda, em rolos de pergaminhos, contendo o Pentateuco
(cinco primeiros livros da Bíblia), a qual é guardada numa arca própria.
    A partir de 537 a.C., sob a iniciativa de Zorobabel, Esdras e Neemias, devidamente autorizados por Ciro, o Grande, rei da Pérsia, os hebreus retornaram à Palestina e o Templo de Jerusalém foi reconstruído. Essa segunda edificação foi chamada Templo de Zorobabel (ou Segundo Templo).
hebreus
Durante a construção do Segundo Templo, os operários permaneciam
 armados para defenderem-se do ataque dos samaritanos.
 
     Aproximadamente no ano de 63 a.C., o Império Romano invadiu a região da Palestina e submeteu os hebreus. 
    Durante o reinado de Herodes, o Segundo Templo foi reformado e ampliado nos padrões romanos. Esse novo templo, que foi construído sobre uma plataforma artificial chamada Monte do Templo, não teve a finalidade exclusivamente religiosa dos templos anteriores.
    Essa construção chegou a ser usada como um mercado, no tempo de Jesus Cristo e ficou conhecida como Templo de Herodes (ou, para alguns autores, Terceiro Templo).
Link explicativo sobre o => Templo de Herodes
     O Templo de Herodes foi destruído pelos romanos no ano 70 depois de Cristo, o povo hebreu foi expulso da Palestina e disperso pelo Oriente Médio, Ásia, Europa e África (Segunda Diáspora Judaica).
      As tradições maçônicas relacionadas ao Tabernáculo, ao Templo de Jerusalém e ao Templo de Zorobabel servem de conteúdo, direta ou indiretamente, para todos os graus do Rito Escocês Antigo e Aceito.