quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Os 33 Graus do Rito Escocês Antigo e Aceito (REAA)

   Os trinta e três graus do Rito Escocês Antigo e Aceito foram estabelecidos pelas Constituições de 1786 e ficaram distribuídos em cinco grupos:
1.Graus Simbólicos - Administrados pelas Lojas Simbólicas.
Grau 1 - Aprendiz
Grau 2 - Companheiro
Grau 3 - Mestre Maçom

2.Graus Inefáveis - Administrados pelas Augustas Lojas de Perfeição.
Grau 4 - Mestre Secreto
Grau 5 - Mestre Perfeito
Grau 6 - Secretário Íntimo
Grau 7 - Preboste e Juiz
Grau 8 - Intendente dos Edifícios
Grau 9 - Cavaleiro Eleito dos Nove
Grau 10 - Cavaleiro Eleito dos Quinze
Grau 11 - Sublime Cavaleiro Eleito
Grau 12 - Grão Mestre Arquiteto
Grau 13 - Cavaleiro do Real Arco
Grau 14 - Grande Eleito, ou Perfeito e Sublime Maçom

3.Graus Capitulares - Administrados pelos Sublimes Capítulos Rosacruzes.
Grau 15 - Cavaleiro do Oriente
Grau 16 - Príncipe de Jerusalém
Grau 17 - Cavaleiro do Oriente e do Ocidente
Grau 18 - Cavaleiro Rosacruz

4.Graus Filosóficos - Administrados pelos Ilustres Conselhos Filosóficos de Kadosch (Kadosh).
Grau 19 - Grande Pontífice, ou Sublime Escocês
Grau 20 - Soberano Príncipe da Maçonaria, ou Mestre Ad Vitam
Grau 21 - Noaquita (Noachita), ou Cavaleiro Prussiano
Grau 22 - Cavaleiro do Real Machado ou Príncipe do Líbano
Grau 23 - Chefe do Tabernáculo
Grau 24 - Príncipe do Tabernáculo
Grau 25 - Cavaleiro da serpente de Bronze
Grau 26 - Príncipe da Mercê, ou Escocês Trinitário
Grau 27 - Grande Comendador do Templo
Grau 28 - Cavaleiro do Sol, ou Príncipe Adepto
Grau 29 - Grande Cavaleiro Escocês de Santo André, ou Patriarca das Cruzadas
Grau 30 - Cavaleiro Kadosch (Kadosh), ou Cavaleiro da Águia Branca e Negra

5.Graus Administrativos - Os Graus 31 e 32 são administrados pelos Mui Poderosos Consistórios de Príncipes do Real Segredo e o Grau 33 é administrado exclusivamente pelos Supremos Conselhos.
Grau 31 - Grande Inspetor Comendador
Grau 32 - Sublime Príncipe do Real Segredo
Grau 33 - Grande Inspetor Geral.

Indicação de literatura maçônica (Kadosch)

     A indicação de literatura é a leitura do livro "Kadosch", de autoria do pesquisador e escritor maçom RIZZARDO DA CAMINO.
    A obra trata dos Graus Filosóficos do Rito Escocês Antigo e Aceito (Graus 19 ao 30), os quais são estudados em Oficinas Litúrgicas dos Altos Graus da Maçonaria, denominadas Conselhos de Kadosch ou Areópagos.

literatura sobre os grau 19 a 30 da Maçonaria

    A leitura desse livro fornecerá aos maçons dos Conselhos de Kadosch, boa parte dos subsídios necessários ao entendimento do papel dos Graus Filosóficos na Maçonaria Escocesa.
   Em complemento ao assunto, os Graus Filosóficos do Rito Escocês Antigo e Aceito são os seguintes:
Grau 19 - Grande Pontífice, ou Sublime Escocês;
Grau 20 - Soberano Príncipe da Maçonaria, ou Mestre Ad Vitam;
Grau 21 - Noaquita, ou Cavaleiro Prussiano
Grau 22 - Cavaleiro do Real Machado, ou Príncipe do Líbano;
Grau 23 - Chefe do Tabernáculo;
Grau 24 - Príncipe do Tabernáculo;
Grau 25 - Cavaleiro da Serpente de Bronze;
Grau 26 - Príncipe da Mercê, ou Escocês Trinitário;
Grau 27 - Grande Comendador do Templo, ou Soberano Comendador do Templo de Salomão;
Grau 28 - Cavaleiro do Sol, ou Príncipe Adepto;
Grau 29 - Grande Cavaleiro de Santo André, ou Patriarca das Cruzadas;
Grau 30 - Grande Eleito Cavaleiro Kadosch (ou Kadosh), ou Cavaleiro da Águia Branca e Negra.

Emblema do Grau 30 (Grande Eleito Cavaleiro Kadosch)

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Revistas e folderes à disposição no Consistório Nº 1.

   No corredor de acesso à Sala de Administração do Consistório Nº 1 encontram-se gratuitamente à disposição dos maçons, os seguintes materiais, em número limitado:

1. Exemplares da Revista O Graal relativos ao evento de visitação ao Supremo Conselho realizado no dia 21 de setembro de 2013.

2. Folderes de divulgação com explicações relativas ao Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito. 
3. Folderes da Reunião Anual dos Mestres Secretos, a ser realizada no dia 14 de dezembro de 2013.
4. Edição Nº 2, da Revista O Consistório (Edição Histórica).


O exemplares encontram-se organizados sobre as bancadas, ao longo do corredor de acesso à Sala da Administração do Consistório Nº 1.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Obras de arte na Câmara do Consistório Nº 1 - Parte 2 (Buda e Confúcio).

    Dando continuidade à série de postagens sobre as obras de arte existentes no interior da Câmara (templo) do Consistório Nº 1, serão tratados dois personagens que marcaram de modo especial as histórias e as culturas da Índia e da China e, de resto, de outras partes da Ásia. 
   O pensamento de cada um desses personagens persiste até hoje nas culturas orientais, tanto no campo da Religião, quanto no da Filosofia, moldando profundamente a maneira de ser dos povos daquelas regiões. São eles Buda e Confúcio.
    Tratam-se de dois quadros feitos em óleo sobre tela pelo pintor maçom FERNANDO GOMES, que é um dos principais colaboradores da pinacoteca do nosso Supremo Conselho.

O quadro de Buda o retrata na sua qualidade original de príncipe indiano.

O quadro de Confúcio na postura tradicional de observação e meditação.


Obs: Nos Altos Graus (Graus 4 ao 33), os locais das reuniões maçônicas não  recebem de templo, e sim o nome de Câmaras ou Câmaras Filosóficas.

Assuntos do Grau 31 (O avental do Grau 31).

    O avental do Grau 31 é feito em cetim branco, forrado e orlado de branco, tendo no centro um triângulo radiante com o número 31 em vermelho.

    Na base do avental estão as letras: "J" (do lado direito) e "E" (do lado esquerdo), que são respectivamente as iniciais das palavras JUSTIÇA e EQÜIDADE.
   Na abeta do avental existe uma águia bicéfala prateada, segurando com as garras uma espada.

Convocação para a sessão de 18.11.2013 (Instrução do Grau 31)

        A Administração do Consistório Nº 1 comunica aos maçons dos Graus 31, 32 e 33 e regulares com o Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito que, às 18:00 horas do dia 18 de  novembro de 2013, será realizada a sessão instrução do Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador), na Câmara Filosófica (ou templo) localizada no Complexo Arquitetônico do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para Rito Escocês Antigo e Aceito, no Campo de São Cristóvão nº 114, bairro de São Cristóvão, Rio de Janeiro - RJ.
       A instrução será ministrada pelo Comandante-em-Chefe do Consistório Nº 1 e o tema será: Resenha do ritual do Grau 31, onde serão tratados: a história, a liturgia, a simbologia e os mistérios desse Alto Grau.
A tetráctys pitagórica é um dos assuntos estudados no Grau 31.

   Sendo assim, os maçons pertencentes ao quadro de obreiros do Consistório Nº 1 estão convocados para participarem da sessão.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O que é um Consistório. A origem do termo (Vídeo)

    A palavra Consistório é o título dado à assembléia de cardeais da Igreja Católica, reunida com a finalidade de tomar importantes decisões de caráter eclesiástico.

Nos Consistórios ocorre a entrega do barrete cardinalício.

   Clique no centro quadro abaixo e assista o vídeo explicativo sobre o significado original da palavra Consistório

domingo, 27 de outubro de 2013

Personagens do Grau 32 (Moisés)

    São várias as fontes de informações sobre a vida de Moisés e suas relações com o Antigo Egito e com o povo hebreu.
  Para estudar esse patriarca, a Maçonaria utiliza fundamentalmente a Bíblia Sagrada, a qual narra nos livros de: Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio a saga de Moisés, desde o seu nascimento sob a perseguição ordenada pelo faraó, até a sua tarefa de condução do povo hebreu, libertado da escravidão no Egito.
    A sugestão de literatura para esse personagem é o livro:
   
  A sugestão de filme é assistir: Moisés, filme de 1995, estrelado por BEN KINGSLEY, CHRISTOPHER LEE e SÔNIA BRAGA.
     O filme está disponível para assistir clicando no link abaixo:

    À luz da filosofia maçônica, o personagem Moisés, entre outros aspectos importantes, desempenhou o papel de liderança social. Com suas ações, conseguiu libertar da escravidão o povo hebreu e conduziu-o, de forma abnegada, a um destino mais nobre.
     Uma outra interpretação sobre a história de Moisés, com foco no Êxodo, pode ser assistida acessando o link abaixo.

sábado, 26 de outubro de 2013

Comitiva do Consistório Nº 1 na elevação ao Grau 15

    Na noite de 24 de outubro de 2013, o Sublime Capítulo Rosacruz Cruzeiro do Sul realizou uma cerimônia maçônica de elevação ao Grau 15 (Cavaleiro do Oriente), em sua Câmara (templo) localizada no Complexo Arquitetônico do Supremo Conselho, no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro.

O interior do Templo foi detalhadamente decorado para cerimônia.

   A solenidade foi presidida por OSNI WESLEY DE OLIVEIRAPresidente (Aterzata) daquele Sublime Capítulo. No total, quatorze maçons foram elevados ao Grau 15 (Cavaleiro do Oriente).
Os recém-elevados passaram a usar a medalha do Grau com a fita vermelha.

  Participou da cerimônia, como convidada, uma comissão de Membros Efetivos do Consistório Nº 1, presidida pelo Comandante-em-Chefe MILTON ANTÔNIO GRAÇA DO SACRAMENTO, e formada pelos Grandes Inspetores: ARNALDO DA PENHA ROSA, MÁRIO LÚCIO DE LIMA NOGUEIRA, BENITO COHEN, LIÉS MARIA ALVES DE SOUZA, ANÍBAL RAMON AYALA SANTOMÉ.
  A presença do Presidente (Três Vezes Poderoso) da Augusta Loja de Perfeição Cruzeiro do Sul, JOÃO GUERRERO FILHO, teve um significado especial, pois o percurso dos recém-elevados pelos Graus 4 ao 14 ocorreu sob sua orientação.


A partir da esquerda, Irmãos: MILTON, ARNALDO, BENITO, AYALA, MÁRIO e LIÉS
(Comitiva do Consistório Nº 1).
A partir da esquerda: os presidentes da Loja de Perfeição, JOÃO GUERREIRO, do Capítulo Rosacruz, OSNI WESLEY, e do Consistório Nº 1, MILTON ANTÔNIO.

Assuntos do Grau 31 (As deusas Horas)

     Os estudos do Grau 31 fazem referência a três deusas da Grécia Antiga: Diké, deusa da justiça; Eunômia, deusa da boa norma; e Irene, deusa da paz.
    Essas três divindades, chamadas Horas, eram filhas de Zeus, rei do deuses, com sua segunda esposa, a deusa Têmis, deusa dos juramentos e da lei.
   Por serem princesas (filhas de Zeus), as Horas eram coroadas com diademas, símbolo da realeza.
  Eram responsáveis por manterem o funcionamento harmonioso do mundo, cuidando para que cada evento ocorresse no momento devido, especialmente as estações do ano e os períodos de floração e da colheita dos frutos. Por isso traziam nas mãos algum tipo de vegetação.

As Horas eram deusas ligadas à agricultura e às relações entre os homens.
                             
   Essas três deusas também tinham como função guardar as portas do Olimpo, a morada dos deuses da mitologia grega.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Agenda das sessões ritualísticas do Consistório 2014.


   No caso de dúvidas sobre as datas das sessões, a agenda poderá ser acessada clicando em "AGENDA 2014" no alto da página, ao lado de "EX-PRESIDENTES".

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Cabeçalhos de Consistórios de 1970 a 1990.

    Revisando os documentos das décadas de 1970 e 1980 arquivados no Consistório Nº 1, encontramos ofícios de Consistórios de Príncipes do Real Segredo de outras regiões do país. Tais documentos eram usados para apresentar maçons a serem elevados, encaminhar documentos, relatórios etc.
  É interessante notar que os cabeçalhos desses documentos apresentavam interessantes variações de estilo e de composição.
   Nas imagens abaixo são exibidos os cabeçalhos desses Altos Corpos:
Consistório Nº 1 (Rio de Janeiro - RJ), 
Consistório Nº 2 (São Paulo - SP), 
Consistório Nº 3 (Recife - PE), 
Consistório Nº 4 (Goiânia - GO), 
Consistório Nº 5 (Vitória - ES), 
Consistório Nº 7 (Florianópolis - SC), 
Consistório Nº 8 (Maceió - AL), 
Consistório Nº 9 (Natal - RN), 
Consistório Nº 10 (Belém - PA), 
Consistório Nº 13 (Rio Grande - RS), 
Consistório Nº 16 (Brasília - DF), 
Consistório Nº 17 (Curitiba - PR), 
Consistório Nº 18 (Caratinga), 
Consistório Nº 19 (Salvador - BA), 
Consistório Nº 20 (Londrina - PR), 
Consistório Nº 21 (Porto Velho - RO), 
Consistório Nº 22 (Teresina - PI), 
Consistório Nº 23 (Pouso Alegre - MG), 
Consistório Nº 24 (São Luís - MA), 
Consistório Nº 25 (Campo Grande - MS), 
Consistório Nº 27 (Governador Valadares - MG), 
Consistório Nº 28 (Colatina - ES) e 
Consistório Nº 30 (Passos - MG).
    Estes cabeçalhos servem como retratos daquele período, bem como de registro para a nossa história. Neles são apresentados os emblemas e as identificações de cada Consistório.

     À medida que novos cabeçalhos de outros Consistórios forem encontrados, serão acrescidos a esta postagem.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Obras de arte na Câmara do Consistório Nº 1 - Parte 1 (Moisés, Jesus e Maomé).

    Os maçons que frequentam as sessões ritualísticas do Consistório Nº 1 têm a oportunidade de apreciar, no interior da Câmara, a exibição de diversas obras de alto valor histórico, artístico e maçônico.
   Tratam-se de esculturas e pinturas dignas de estarem expostas em galerias de artes ou em quaisquer museus.
  Esta série começa destacando as pinturas de três personagens que deixaram grandes marcas na História da Humanidade, por terem sido os protagonistas na criação das três principais religiões monoteístas: Moisés (Judaísmo), Jesus de Nazaré (Cristianismo) e Maomé (Islamismo).
   As imagens em exibição no Consistório Nº 1, são pinturas em óleo sobre tela do artista maçom FERNANDO GOMES e retratam esses personagens nas atitudes típicas dos ofícios que desempenharam.

O quadro de Moisés o retrata apresentando aos hebreus a tábua do Decálogo.

O quadro de Jesus de Nazaré o retrata numa atitude de pregador. 

O quadro de Maomé o retrata numa atitude de pregador.

   Além do evidente valor artístico dessas peças, ressaltamos o caráter profundamente maçônico nelas contido, bastando para isso observar: a postura, o gesto e a fisionomia apresentados em cada personagem.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Maçons elevados ao Grau 32 em 15.10.2013.


 
  Segue abaixo a relação dos vinte e sete maçons elevados ao Grau 32 na Sessão Magna de 15 de outubro de 2013:
1. ALEXANDRE JOAQUIM GOMES NETO
2. ALEXANDRE MESQUITA MAURNO
3. ANTONIO BESERRA
4. ARTUR TADEU SIMAS PEDRO
5. CAETANO ARMANDO FARAONE
6. EDSON MARCOS GASPAR DE ANDRADE
7. EVALDO NASCIMENTO
8. EVERTON KLEBER TEIXEIRA NUNES
9. HELMER BARBOZA GILBERTO
10. HERMES BUGNI
11. IGOR CABRAL VIANA
12. JORGE MAURÍCIO DE OLIVEIRA
13. JOSÉ ROBERTO DE LIMA
14. JOSÉ CARLOS DA SILVA PIRES
15. JOSÉ MARIA DO NASCIMENTO
16. JOSÉ NOLASCO DE CARVALHO
17. LICIO RAMOS DE ARAUJO
18. LUIZ ROBERTO DIAS NUNES
19. MARCO AURÉLIO MARTINS BRAGA
20. PAULOCESAR DA SILVA
21. PEDRO BEZERRA DE MENEZES
22. PEDRO ROBERTO RODRIGUES
23. RENE GONÇALVES
24.ROBERTO CORDEIRO CHAGAS DE OLIVEIRA
25. RODRIGO EMATNÉ GADBEN
26. SAMUEL KATZ
27. WILSON GONÇALVES TORRES

  A Administração do Consistório Nº 1 parabeniza os novos Sublimes Príncipes do Real Segredo (Grau 32) e os concita a permanecerem firmes nas suas caminhadas maçônicas.
Emblema do Grau 32.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Assuntos do Grau 31 (O Tribunal de Osíris).

   O Tribunal de Osíris é um importante tema analisado no Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador), cujos estudos remetem à Antiga Mitologia Egípcia.
  Essa corte mitológica, descrita no Livro dos Mortos, representava o conjunto de alegorias pelas quais os antigos egípcios acreditavam que se aplicava a Justiça Final após a morte.
A partir da esquerda: o morto (conduzido), Anúbis (condutor), Anúbis (pesando), Ammit (o devorador), Toth (anotando), o morto (sendo apresentado), Hórus (apresentando), Osíris (juiz), Ísis e Néftis (ambas atrás de Osíris).


   Nos estudos realizados no Grau 31, é descrita a formação tribunal divino egípcio, relatando-o como uma corte que avaliava os atos de cada pessoa no decorrer da vida. Esse colegiado, presidido pelo deus Osíris, era formado por 42 deuses-juízes e se reunia num local chamado Sala das Duas Verdades.
   O morto ao chegar ao Tribunal de Osíris, era conduzido pelo deus Anúbis, que lhe retirava o coração, centro da sua consciência, e o colocava num dos pratos de uma balança onde, no outro prato estava colocada uma pena de avestruz (símbolo de Maat, deusa da Verdade). Caso o coração do morto fosse mais pesado que a pena, era decretada a condenação e o condenado tinha sua alma devorada por Ammit (ou Amut)
    O deus Toth anotava o resultado obtido na medição e o deus Hórus o encaminhava a OsírisCaso o morto fosse absolvido, ele reencarnaria em seu próprio corpo e seguiria, juntamente com seus pertences, para um paraíso conhecido como Aaru. Daí resulta a importância da mumificação para aquele povo.
A mumificação permitia que o corpo do morto fosse preservado,
 em razão do julgamento.
 
   À luz da filosofia maçônica, o Tribunal de Osíris é uma importante alegoria do Grau 31 que tem, entre outros significados, o simbolismo de que a Verdade e a Justiça são os caminhos que devem orientar a vida do Homem na sociedade, consolidando a máxima de que "a Justiça é a Verdade em ação"