sábado, 9 de novembro de 2013

Assuntos do Grau 32 (O Grande Acampamento)

    O Grande Acampamento é parte de uma estratégia planejada pelo então rei da Prússia Frederico II (Frederico, o Grande), com o objetivo de retomar para os povos do Ocidente o domínio da Palestina e dos demais lugares considerados sagrados para o Cristianismo e localizados na Terra Santa.
Frederico, o Grande, viveu de 1712 a 1786.
Foi o primeiro rei da Prússia.
  Nessa estratégia, os membros da Maçonaria estariam distribuídos de uma forma específica, conforme ensinam os estudos do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo). 
  Abaixo temos duas representações relacionadas ao Grande Acampamento:
   Na época em que viveu Frederico II, a região da Palestina atravessava momentos de sérios conflitos internos, especialmente entre os governantes turcos de Damasco e de Istambul.

3 comentários:

  1. Comandante-em-Chefe, Ir. Sacramento, Consistório nº1.
    Caro amigo e Chefe, Fazendo uma releitura, o Rei da Prússia Frederico II (Frederico - O Grande), talvez tenha sido um visionário quando desejou retomar para os povos do Ocidente, a região da Palestina e lugares Sagrados da Terra Santa, considerados de magna importância para o Cristianismo. Já na época de Frederico II, a região da Palestina atravessava sérios conflitos internos, especialmente, entre os governantes turcos de Damasco e de Istambul, como você muito bem relatou. É interessante que essa região, passado os Séculos, continue em conflito e nas machetes do jornais de hoje, em todo o Mundo. É interessante, para argumentar que, o sonho de Frederico II jamais foi conseguido e os países do Ocidente que buscaram uma solução para o Oriente, partindo da ótica Israelense, pagaram e ainda pagam um preço elevado, em vidas e bens. Essa região, no tempo de Roma, esteve sob domínio de Titus Flavius Vespasianus Augustus que foi Imperador Romano entre os anos de 79 e 81, sendo filho mais velho e sucessor de Vespasiano. Titus Flavius alcançou renome como Comandante Militar ao servir sob as ordens de seu pai na Judéia (uma das mais ricas províncias romanas) durante o conflito conhecido como a Primeira Guerra Judaico-romana (67 - 70). Após Vespasiano ter sido proclamado Imperador por suas tropas, recaiu sobre Titus Flavius a responsabilidade de acabar com os judeus sediciosos, tarefa realizada satisfatoriamente, após sitiar e destruir Jerusalém, no ano 70, quando o Templo foi demolido com um incêndio. Seu vitorioso Triunfo foi recompensado e comemorado com o Arco de Tito. E assim, estava realizada a grande diáspora com a dispersão dos judeus pelo Mundo. Portanto, no meu entendimento, Frederico II da Prússia - Frederico o Grande, se tinha conhecimento desse fato, sonhou muito elevado, pois nem as Cruzadas conseguiram realizar essa epopéia, quando encontram num líder árabe - Saladino, figura impar e grande guerreiro - Saladino acabou com o sonho das Cruzadas, colocando um fim essa aventura do cristianismo, quando derrotou as forças das Cristãs, formadas por Cavaleiros e tropas de toda a Europa daquela época, em busca, muito mais de um lugar no Céu...
    Ir. Sangenis, Grande Inspetor Geral e Membro Efetivo do Consistório, Nº1.

    ResponderExcluir
  2. Caro Irmão Sangenis, obrigado pela participação e pela culta colaboração.

    ResponderExcluir
  3. Comandante-em-Chefe, Ir.'. Milton Antônio Graça do Sacramento, Consistório nº 1.
    Atrevo-me agora, fazer um breve comentário, pois diante dessa aula de conhecimento apresentada e também do brilhante comentário do Il.'. Ir.'. Sangenis, eu modestamente tentarei ponderar algum comentário.
    Considerando-se tudo o que foi dito, penso que o resultado dessas várias tentativas frustradas de se apoderar daquele local Santo converge para o fato de que aquela região é sabidamente, considerada o centro Cósmico Universal, e que Deus escolheu um povo para possuir e habitar aquela faixa de terra, esse é o povo judeu e portanto, por mais que se tente, as forças Cósmicas Universais estarão sempre convergindo para o povo escolhido de Deus, ou seja o povo que passou o rio Jordão. Como mostra a saga de Zorobabel, o seu povo, o povo Hebreu( Judeu), passou a ponte de Gabarra, ganhando a liberdade de passar, de pensar e de consciência. Assim sendo concluo o meu raciocínio convidando a todos para ler o livro da Revelação( Apocalípse ), contido no livro Santo, e refletir sobre os fatos vindouros sobre aquela região.
    Um Tríplice e Fraternal Abraço a todos.
    Ir.'. João Anselmo de Oliveira IME 076143- Grau 31 - Consistório nº 1.

    ResponderExcluir

A ADMINISTRAÇÃO DO CONSISTÓRIO Nº 1 AGRADECE A SUA PARTICIPAÇÃO.