sábado, 31 de maio de 2014

Indicação de literatura (Jung é a Aurora da Maçonaria)

    A indicação de literatura é o livro Jung é a Aurora da Maçonaria, de autoria do psicanalista Jean-Luc Maxence.
maçonaria psicologia
   Na obra o autor destaca a importância do estudo dos símbolos, particularmente os símbolos maçônicos, como caminho para o Homem entender a si próprio.
   O texto toma como base os ensinamentos de Carl Gustav Jung, fundador da Psicologia Analítica, e que desenvolveu conceitos como o do inconsciente coletivo e dos arquétipos.
Em reconhecimento ao seu trabalho na área
da Psicologia, Jung recebeu o título de Doutor
  Honoris Causa da Universidade de Oxford.
  Jean-Luc Maxence aponta que o conhecimento dos símbolos é um antigo estudo, anterior à Psicologia e à Maçonaria. Destaca também que a linguagem simbólica permite uma comunicação compreensível a qualquer estudioso do caminho do auto-conhecimento.
    A obra faz cruzar os caminhos da Francomaçonaria com o pensamento junguiano, ressaltando o papel dos símbolos como a chave para o auto-entendimento.
    Por fim, o autor sugere o pensamento junguiano como uma bela aurora, que proporciona  novas compreensões ao pensamento do maçom

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Indicação de literatura maçônica (Mestres do Universo)

     A indicação de literatura maçônica é o livro Mestres do Universo, a Maçonaria dos Graus Superiores, do escritor e pesquisador maçom JOÃO ANATALINO RODRIGUES.

     A obra faz um estudo detalhado dos Graus Filosóficos (do Grau 19 ao Grau 30) e dos Graus Administrativos (do Grau 31 ao Grau 33) do Rito Escocês Antigo e Aceito.

    No texto, João Anatalino aborda aspectos fundamentais da história, doutrina, filosofia e mitologia maçônicas. Deste modo, cada Grau é tratado sistematicamente sob diversos aspectos, mantendo um ponto de vista dos dias atuais.
João Anatalino Rodrigues é também autor do livro: Conhecendo a
Arte Real, a Maçonaria e suas influências históricas e filosóficas.
    O maçom irá encontrar na obra Mestres do Universo, a Maçonaria dos Graus Superiores, os subsídios necessários para o entendimento do conjunto da doutrina dos últimos graus do Rito Escocês Antigo e Aceito.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Emissoras de rádio na internet voltadas à Maçonaria

    No Brasil, cresce o número de emissoras de rádio na internet voltadas ao público maçônico.
   Entre os serviços prestados por essas rádios estão: a divulgação de atividades e de lojas maçônicas, a execução de músicas de diversos gêneros, além de informações variadas sobre eventos e personagens maçônicos.
As rádios "on line" podem ser ouvidas, a partir de um
smartphone, bastando existir um sinal digital de qualidade.
  Seguem abaixo os links de algumas emissoras de rádio disponibilizadas na internet e relacionadas à Maçonaria:





Indicação de blog sobre a Maçonaria (Por Entre os Pilares)

     A indicação de blog sobre Maçonaria é a página Por Entre os Pilares, a qual publica diversos estudos relacionados à Maçonaria.
Link para o blog => Por Entre os Pilares

    O blog Por Entre o Pilares foi criado em 23 de novembro de 2010 pelo maçom RENATO CARDOSO, membro da Augusta e Respeitável Loja Simbólica Acadêmica Cavaleiros de Vila Rica Nº 3947 (Link para => Loja Cavaleiros de Vila Rica), situada na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais.



     No blog Por Entre os Pilares estão publicados estudos sobre as práticas, a filosofia e as doutrinas maçônicas.
     Outro tema que tem um espaço importante no blog Por Entre os Pilares são a ordens iniciáticas, tais como: a Ordem da Estrela do Oriente (Link para a => Ordem da Estrela do Oriente) e a Ordem dos Guias do Graal.

A Ordem da Estrela do Oriente é uma associação paramaçônica
e fraternal, composta por homens e mulheres com mais de 18 anos e
que tenham laços de parentesco com um Mestre Maçom regular.
     Por fim, merece destaque o fato do blog Por Entre os Pilares ser amplamente voltado à divulgação de Antiga e Mística Ordem Rosacruz – AMORC (Link para => AMORC).

terça-feira, 27 de maio de 2014

Origens das diferenças entre os Graus Simbólicos e os Altos Graus (Parte 1)

    No período entre as décadas de 1730 e 1760, a Maçonaria deu início às suas atividades na França. 
   No território francês, surgiram vários ritos e graus maçônicos ligados às mudanças sociais que estavam acontecendo no continente europeu. 
Entre os anos de 1730 e 1760, a nobreza francesa
estava no auge do poder político na França.
     Alguns graus e ritos que surgiram na França, rompiam com as origens maçônicas ligadas à construção do Templo de Salomão e pregavam que a Maçonaria surgiu em virtude do retorno à Europa dos cavaleiros nobres que haviam lutado nas Cruzadas.
As Cruzadas deslocaram milhares de cristãos da Europa, com destino à
Terra Santa (Palestina), a fim de lutarem contra os mouros (ou árabes).


     Durante as Cruzadas, um grande número de pessoas da nobreza, estudiosos, teólogos e comerciantes conviveram durante décadas com as tradições religiosas, filosóficas e culturais dos povos gregos, egípcios, palestinos e árabes.
A mitologia sobre a Palavra Perdida, estudada nos Altos
Graus do Rito Escocês Antigo e Aceito, é oriunda da Palestina.
   As tradições assimiladas desses povos influenciaram fortemente o surgimento da Maçonaria na França e, em particular, a doutrina do Rito Escocês Antigo e Aceito.
    Os símbolos estudados nos novos graus que surgiam, não eram mais as ferramentas de pedreiros. Passaram a ser brasões, mitos e valores ligados: à nobreza, às mitologias grega, egípcia e hebraica, ao Cristianismo e à cavalaria medieval.
    O rito que mais se destacou nesse período foi o Rito Escocês Antigo e Aceito. Nesse rito, os três graus que existiam antes dessa mudança passaram a ser chamados de Graus Simbólicos (ou Graus Universais).
     Os graus criados a partir do Grau 4 (Mestre Secreto), foram chamados Altos Graus (ou Graus Superiores).
     Nos estudos seguintes serão analisados outros aspectos diferenciadores entre os Graus Simbólicos (Graus 1, 2 e 3) e os Altos Graus (do Grau 4 ao Grau 33).

segunda-feira, 26 de maio de 2014

As civilizações do Crescente Fértil e o Rito Escocês Antigo e Aceito - Egito (Parte 4)

   Dando continuidade ao estudo sobre a região do Crescente Fértil o Rito Escocês Antigo e Aceito, com foco no Egito.

       A fim de retomar o assunto, é necessário reler os seguintes estudos:




     Continuando, outra importante referência egípcia no Rito Escocês Antigo e Aceito é o Tribunal de Osíris, estudado no Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador).
Osíris era o deus egípcio responsável pelos
julgamentos individuais, após a morte.

     O Tribunal de Osíris possui um conjunto de símbolos relevantes para o entendimento da doutrina dos três últimos graus do Rito Escocês Antigo e Aceito.

      Para entender o que era o Tribunal de Osíris, acesse os links a seguir:


   Complementando este estudo, acesse o link abaixo para assistir um documentário sobre a História do Antigo Egito.

sábado, 24 de maio de 2014

Falecimento do maçom AUGUSTINHO KOSCHDOSKI.

     Comunicamos o falecimento do maçom Augustinho Koschdoski, Grau 33 (Grande Inspetor Geral) do Rito Escocês Antigo e Aceito, detentor da Comenda Pedro II, do Grande Oriente do Brasil.
    Augustinho Koschdoski era filiado ao Consistório Nº 1 e no dia 14 de agosto de 2009, a convite do Comandante-em-Chefe, MILTON ANTÔNIO GRAÇA DO SACRAMENTO, realizou uma palestra nesse Alto Corpo com o tema: A Estrela da Manhã.
     Augustinho Koschdoski, entre outras ordens às quais pertencia, era membro da Sociedade Brasileira de Eubiose (link para a => Sociedade Brasileira de Eubiose).
koschdoski
AUGUSTINHO KOSCHDOSKI, Grau 33
    A Administração do Consistório Nº 1 manifesta seu pesar junto aos amigos e familiares desse grande maçom, membro fundador da Augusta e Respeitável Loja Simbólica Marquês de Herval Nº 1624 (link para a => Loja Marquês do Herval), e roga do Grande Arquiteto do Universo que o receba em glória e paz.
   O sepultamento de Augustinho Koschdoski está previsto para ocorrer às 9:00 horas, do dia 25 de maio de 2014, no Cemitério São João Batista, localizado no bairro de Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, saindo da Capela Nº 9. 

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Maçons elevados ao Grau 32 em 15.05.2014.


    Segue abaixo a relação dos trinta e um maçons elevados ao Grau 32 na Sessão Magna de 15 de maio de 2014:
1. AILDO VIRGÍNIO CAROLINO
2. ALBERTO BENTO COELHO
3. ALESSANDRO BESSA COUCEIRO
4. ALEXANDRE GRACIANO DOS SANTOS
5. ANTÔNIO CLAUDIO CARDOSO MOCARZEL
6. ANTÔNIO COUTO
7. ANTÔNIO SILVA FILHO
8. CARLOS EDUARDO MEDEIROS DE CARVALHO
9. CLAUDIO DO NASCIMENTO BARROS
10. GASTÃO DE FREITAS FILHO
11. GLEINER DE OLIVEIRA COSTA
12. HARLEY CORREIA DA CUNHA
13. JOÃO ANSELMO DE OLIVEIRA
14. JOÃO BARRETO MIRANDA
15. JOSÉ ALEXANDRE DA SILVA
16. JOSÉ APARECIDO BUDÓIA
17. JOSÉ ARTHUR MACHADO PINHEIRO ARAÚJO
18. JOSÉ LUIZ SILVEIRA RAMIRO
19. LINDEMBERG MENDES VIANA
20. LUIZ SÉRGIO MELUCCI SALGUEIRO
21. MARCELO SHORT SOARES
22. MARCO AURÉLIO LUCAS DA SILVA
23. MARCOS ACILDO FERREIRA
24. MARCOS ANTÔNIO PEIXOTO DE CARVALHO
25. NELSON NOBRE CASARES
26. PAULO CESAR DE LIMA SOARES
27. PAULO CESAR GOMES DA COSTA
28. PAULO MONTEVERDE
29. PAULO SÉRGIO LADEIRA FERNANDES
30. THOMAS SOUTO DE ARAÚJO
31. WELLINGTON CASSANELY

     A Administração do Consistório Nº 1 parabeniza os novos Sublimes Príncipes do Real Segredo (Grau 32) e os concita a permanecerem firmes nas suas caminhadas maçônicas.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Personagem do Grau 32 (Moisés) - Em áudio

      Clique na imagem abaixo e ouça um breve estudo sobre a vida de Moisés, o patriarca hebreu que libertou o povo hebreu da escravidão no Egito e que conduziu seu povo pelo deserto a caminho de Canaã (A Terra Prometida).
    Moisés é um importante personagem da Cripta dos Grandes Filósofos do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo).

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Revista O Consistório - Edição Nº 14 (Versão para download)

    Entre os anos de 1996 e 2002, o Consistório Nº 1 publicou a revista O Consistório, a qual, entre outras atividades, divulgava estudos sobre Maçonaria, sobre a cultura em geral e relatava atividades da Oficina Litúrgica.
   A revista foi criada durante o período em que o Grande Inspetor Geral JOÃO FERREIRA DURÃO ocupou o cargo de Soberanos do Soberanos (na nomenclatura atual, Comandante-em-Chefe) do Consistório Nº 1.
   As revistas publicadas naquela época estão em processo de digitalização e passarão à disposição do público para leitura e/ou download.
     Em prosseguimento a esse processo, segue abaixo o link para a Revista O Consistório - Edição Nº 14, ano 2002 (Edição Histórica).

terça-feira, 20 de maio de 2014

Estatuto do Supremo Conselho (Artigo 25)

    Dando continuidade ao estudo do Estatuto do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito.

Postagens anteriores sobre o => Estatuto do Supremo Conselho

    O Artigo 25 relaciona as atribuições do Grande Secretário das Relações Interiores
     As principais tarefas do Grande Secretário das Relações Interiores estão relacionadas à interação do Supremo Conselho, e especialmente do Soberano Grande Comendador, com as atividades desenvolvidas pelas potências maçônicas regulares ou por outras organizações da sociedade civil, que estejam relacionadas ao Rito Escocês Antigo e Aceito e que ocorram no território brasileiro. 
   De acordo com o Estatuto do Supremo Conselho, as tarefas do Grande Secretário das Relações Exteriores são as seguintes:

consistório


segunda-feira, 19 de maio de 2014

Revista O Consistório - Edição Nº 13 (Versão para download)

       Entre os anos de 1996 e 2002, o Consistório Nº 1 publicou a revista O Consistório, a qual, entre outras atividades, divulgava estudos sobre Maçonaria, sobre a cultura em geral e relatava atividades da Oficina Litúrgica.
       A revista foi criada durante o período em que o Grande Inspetor Geral JOÃO FERREIRA DURÃO ocupou o cargo de Soberanos do Soberanos (na nomenclatura atual, Comandante-em-Chefe) do Consistório Nº 1.
     As revistas publicadas naquela época estão em processo de digitalização e passarão à disposição do público para leitura e/ou download.
      Em prosseguimento a esse processo, segue abaixo o link para a Revista O Consistório - Edição Nº 13, ano 2002 (Edição Histórica).

sábado, 17 de maio de 2014

Sessão do dia 15 de maio de 2014 (Elevação ao Grau 32).

     Às 18:00 horas do dia 15 de maio de 2014, ocorreu na Câmara Filosófica do Mui Poderoso Consistório de Príncipes do Real Segredo Nº 1, a Sessão Magna de Iniciação ao Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo).
   Foram elevados trinta e dois maçons ao Grau 32, os quais receberam as primeiras instruções e os mistérios do Grau.
    A sessão foi presidida pelo Comandante-em-Chefe do Consistório Nº 1, MILTON ANTÔNIO GRAÇA DO SACRAMENTO, e contou com a presença do maçom GILSON DA SILVA MONTEIRO, Membro Efetivo do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para Rito Escocês Antigo e Aceito.
Gilson Monteiro
GILSON DA SILVA MONTEIRO,
Grau 33 do R:.E:.A:.A:.
  Abaixo temos a foto, registrada após o término da sessão, do Comandante-em-Chefe acompanhado dos maçons recém-elevados ao Grau 32 do Rito Escocês Antigo e Aceito.
Entre os maçons recém-elevados, estavam presente diversos Veneráveis 
Mestres de Lojas Simbólicas, além de membros das administrações de Altos Corpos do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O símbolos alquímicos da morte e o Rito Escocês Antigo e Aceito.

    Os símbolos da morte estão presentes direta ou indiretamente em praticamente todos os graus do Rito Escocês Antigo e Aceito. 

     São vários os quadros, músicas, aromas e objetos que, ao longo do curso maçônico, relembram que toda existência, alegria e sofrimento tem um fim
   Os significados de um cada desses elementos simbólicos variam de acordo com os ensinamentos de cada grau, podendo o mesmo elemento ter significados diferentes em Graus diferentes.

Na figura acima, são apresentados alguns símbolos associados 
à morte encontrados no Rito Escocês Antigo e Aceito
    Um dos importantes significados da morte no Rito Escocês Antigo e Aceito está relacionado ao processo de aperfeiçoamento e renovação estudado na Alquimia.
  Nessa visão, simbolicamente, a Filosofia Maçônica entende que a morte física, ou mesmo a "morte psicológica", são necessárias para o renascimento e o aprimoramento do Homem.
O gráfico relata o percurso alquímico do Homem ao longo sua existência.

      Ensinava a Alquimia que é necessário ao Homem que sua matéria se "dissolva" e que ele "desça" ao Inferno, à Mansão dos Mortos (no Cristianismo), ao Hades, Tártaro (nas mitologias grega e romana), aos Mundos Inferiores (em diversas tradições) para que ocorra sua purificação e renascimento.
    Um importante símbolo alquímico e maçônico relacionado à morte é a caveira, a qual representa o estado de morte física do Homem.
  Outro símbolo importante é o mercúrio, o qual era considerado pelos alquimistas como o solvente universal, com poder de tudo destruir ou dissolver.
O Baphomet é um símbolo alquímico, que possui nos
 braços as inscrições solve e coagula, simbolizando as propriedades
 de degradação e de reintegração da matéria, ou do ser humano.

    As regiões subterrâneas (ou infernos), como símbolo da morte, estão associadas às antigas crenças (egípcia, grega e romana), as quais entendiam que, com a morte do corpo, o espírito do defunto habitaria em regiões abaixo da superfície terrestre.

   Por fim, a escuridão e a sombra são os símbolos associados à morte psicológica. Conforme afirmava a Alquimia, no momento extremo do sofrimento psicológico não é possível enxergar a Luz.
  No Rito Escocês Antigo e Aceito, personagens como: Hércules, no Grau 1 (Aprendiz Maçom); Osíris, no Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador) e Jesus de Nazaré, no Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo), desceram ao Mundo dos Mortos para poderem cumprir as missões às quais estavam destinados.
    Complementando este estudo, acesse os links abaixo:
Link para => Osíris
Link para => Jesus de Nazaré

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Revista O Consistório - Edição Nº 12 (Versão para download)

    Entre os anos de 1996 e 2002, o Consistório Nº 1 publicou a revista O Consistório, a qual, entre outras atividades, divulgava estudos sobre Maçonaria, sobre a cultura em geral e relatava atividades da Oficina Litúrgica.
   A revista foi criada durante o período em que o Grande Inspetor Geral JOÃO FERREIRA DURÃO ocupou o cargo de Soberanos do Soberanos (na nomenclatura atual, Comandante-em-Chefe) do Consistório Nº 1.

   As revistas publicadas naquela época estão em processo de digitalização e passarão à disposição do público para leitura e/ou download.

     Em prosseguimento a esse processo, segue abaixo o link para a Revista O Consistório - Edição Nº 12, ano 2001 (Edição Histórica).

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Assuntos do Grau 32 (As dez pragas do Egito)

   O patriarca Moisés, integrante da Cripta dos Grandes Filósofos do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo) foi, juntamente com seu irmão mais velho Aarão (ou Arão), um dos principais personagens da libertação do povo hebreu da escravidão no Antigo Egito.
    De acordo com a Bíblia, para libertar o Povo de Deus da escravidão, Moisés recebeu ajuda direta Yahweh, o deus único dos hebreus, o qual castigou os egípcios com dez pragas.
    Clique no vídeo abaixo e assista uma breve reportagem do que foram as dez pragas do Antigo Egito.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Revista O Consistório - Edição Nº 11 (Versão para download)

    Entre os anos de 1996 e 2002, o Consistório Nº 1 publicou a revista O Consistório, a qual, entre outras atividades, divulgava estudos sobre Maçonaria, sobre a cultura em geral e relatava atividades da Oficina Litúrgica.
   A revista foi criada durante o período em que o Grande Inspetor Geral JOÃO FERREIRA DURÃO ocupou o cargo de Soberanos do Soberanos (na nomenclatura atual, Comandante-em-Chefe) do Consistório Nº 1.

   As revistas publicadas naquela época estão em processo de digitalização e passarão à disposição do público para leitura e/ou download.

     Em prosseguimento a esse processo, segue abaixo o link para a Revista O Consistório - Edição Nº 11, ano 2001 (Edição Histórica).
Revista O Consistório - Edição 11

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Indicação de literatura (Zorobabel: Reconstruindo o Templo)

     A indicação de literatura é o livro Zorobabel: Reconstruindo o Templo, de autoria do pesquisador e escritor maçom, cantor e compositor musical, Zé Rodrix.
    A obra é uma ficção histórica que se passa no período da queda do Império Babilônico, derrotado pelo Império Persa, comandado pelo imperador Ciro, o Grande

   Esse romance narra como o personagem principal, Zorobabel (link para => Zorobabel), reconduziu à Jerusalém os judeus recém-libertos pelo imperador Ciro e como, posteriormente, comandou a reconstrução do Templo de Yahweh.
Durante as obras de reconstrução do Templo de
Jerusalém, os operários permaneciam armados, prontos
para defenderem-se dos ataques dos samaritanos.

     A obra é o segundo volume da coleção chamada Trilogia do Templo, escrita por Zé Rodrix. 

   O primeiro volume da Trilogia do Templo é o livro Johaben: Diário de um construtor do Templo (link para o livro => Johaben: Diário de um construtor do Templo).

Consistório de Príncipes do Real Segredo

domingo, 11 de maio de 2014

Assuntos do Grau 32 (Zoroastrismo) - Em áudio

    Zoroastro (ou Zarathustra), profeta da Antiga Pérsia e personagem da Cripta dos Grandes Filósofos do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo), fundou a religião denominada Zoroastrismo (ou Parsismo, ou Mazdeísmo).
   O Zoroastrismo é considerado como a primeira religião que pregou o Monoteísmo Ético, ou seja, uma religião na qual o deus único exigia uma determinada conduta moral dos seus seguidores. 
   O Monoteísmo Ético é o padrão de religião que atualmente caracteriza: o Judaísmo, o Islamismo e o Cristianismo, principais religiões monoteístas do planeta.
   Clique no quadro abaixo para acessar o áudio com uma breve descrição sobre o Zoroastrismo e suas semelhanças com as grandes religiões monoteístas.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Personagens do Grau 32 (Buda) - Em áudio

    Clique no vídeo abaixo e ouça um breve estudo sobre a vida de Buda, personagem da Cripta dos Grandes Filósofos do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo).

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Indicação de blog sobre Maçonaria (O Filho da Viúva)

   A indicação de blog sobre Maçonaria é  a página O Filho da Viúva, o qual publica pesquisas sobre atualidades maçônicas.
    Os estudos divulgados no blog O Filho da Viúva referem-se, entre outros assuntos, às personalidades importantes da Maçonaria brasileira e internacional, às características da Arquitetura Sagrada, aos fatos históricos que tiveram importante participação maçônica, além de variados textos que narram um pouco do cotidiano maçônico.
Link para o blog => O Filho da Viúva.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

As civilizações do Crescente Fértil e o Rito Escocês Antigo e Aceito - Egito (Parte 3)

     Dando continuidade ao estudo da relação do Antigo Egito com o Rito Escocês Antigo e Aceito. (Veja logo abaixo os três links das postagens sobre o Rito Escocês Antigo e Aceito e o Antigo Egito que que antecederam este estudo).
1º Link ====> Introdução
2º Link => Egito - Parte 1
3º Link => Egito - Parte 2

    Segundo o Livro do Êxodo, após quase quatro séculos de escravidão do povo hebreu no Egito, Yahveh (ou Jehovah , ou YHWH), o deus único dos hebreus, revelou-se no deserto, diante de Moisés, na forma de um arbusto que ardia, mas não se transformava em cinzas (episódio da Sarça Ardente). Nessa aparição, Moisés foi orientado por Yahveh a assumir a liderança dos hebreus e conduzi-los de volta à Canaã (ou a Terra Prometida).
moisés
Conforme a Bíblia, o arbusto não se consumiu pelo fogo e
serviu como veículo para que
Yahveh se revelasse  a Moisés
.
     Na tarefa de libertá-los do cativeiro no Egito e conduzir os hebreus (ou Povo Escolhido) até Canaã, o patriarca Moisés foi auxiliado por seu irmão mais velho, Aarão (ou Arão) (link para => Aarão).
Aarão, irmão mais velho de Moisés, teve participação destacada 
durante o episódio de convencimento do faraó e da sua corte.

   Por várias vezes, Moisés e Arão tiveram suas súplicas pela libertação do Povo Escolhido negadas pelo faraó. Nessa ocasião, conforme afirma o texto bíblico, Yahveh afligiu o povo egípcio, castigando-o com dez pragas, sendo a última, e mais grave, a morte de todos os filhos primogênitos egípcios, tanto homens, quanto animais.

   Em razão do sofrimento vivido pelo povo egípcio, o faraó permitiu que os hebreus partissem e Moisés foi autorizado a conduzi-los no retorno à Terra Prometida.
  O episódio mais importante que marca o início do retorno (ou Êxodo, ou Shemot) dos hebreus à Canaã é a travessia do Mar Vermelho.
Desde o início do Êxodo, a Arca da Aliança (ou Arca
do Concerto)  foi um dos principais símbolos 

hebreus, em torno do qual de uniu o Povo Escolhido.
     Após o fim do cativeiro no Egito, o Povo Escolhido viu-se livre para organizar e praticar suas crenças. Nesse período foram adotados pelos hebreus importantes símbolos e rituais para representar a sua religião, entre eles: a criação do Tabernáculo (ou Tenda Sagrada), que era um santuário portátil para a adoração de Yahveh. Para dirigir os trabalhos religiosos no Tabernáculo, foi criada a figura do Sumo-Sacerdote, cabendo essa tarefa inicialmente a Aarão.

Aos sacerdotes levitas cabia a 
organização e a limpeza da Tenda 
Sagrada e sua preparação ritualística.
A fim de auxiliar o Sumo-Sacerdote nos trabalhos do Tabernáculo, foi designado o povo da tribo de Levi (ou levitas) como sacerdotes e responsáveis pela condução das tarefas religiosas.
No Rito Escocês Antigo e Aceito destacam-se três graus filosóficos, cujos estudos e doutrina estão diretamente relacionados à descrição, construção, organização, funcionamento e demais aspectos místicos e simbólicos do Tabernáculo Hebreu. São eles: o Grau 22 (Cavaleiro do Real Machado, ou Príncipe do Líbano), o Grau 23 (Chefe do Tabernáculo) e o Grau 24 (Príncipe do Tabernáculo).

terça-feira, 6 de maio de 2014

Indicação de blog sobre a Maçonaria (Orvalho do Hermon)

   A indicação de blog sobre Maçonaria é o Portal Maçônico Orvalho do Hermon, o qual destina-se à publicação de temas maçônicos atuais e de estudos variados sobre a Arte Real (ou Ars Regia).
    Os trabalhos apresentados pelo Portal Maçônico Orvalho do Hermon referem-se, entre outros assuntos, a temas ligados à:  história, doutrina, ritualística e simbologia da Maçonaria.
  O Portal possui ainda uma comunidade digital, o Grupo Maçônico Orvalho do Hermon, a qual destina-se ao debate de assuntos maçônicos relevantes. O endereço desse grupo de estudos é http://br.groups.yahoo.com/group/orvalhodohermon.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Indicação de vídeo (História do Antigo Egito)

   Os estudos realizados no Consistório Nº 1 são fortemente influenciados pelas tradições e símbolos do Antigo Egito.
Consistório de Príncipes do Real Segredo
A máscara mortuária do faraó
Tutankamon é um dos mais 

conhecidos símbolos da 
Antiga Civilização Egípcia. 
   No Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador), por exemplo, é apresentada a alegoria do Tribunal de Osíris, a qual simboliza a aplicação implacável da Justiça Divina.
   No Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo), dois personagens da Cripta dos Grande Filósofos, Hermes Trimesgistus e Moisés, têm suas histórias ligadas à Civilização dos Faraós.
   Sendo assim, para aprofundar os conhecimentos nos chamados Graus Administrativos (Grau 31 e Grau 32), é muito importante entender a História da Antiga Civilização Egípcia.
   Clique no link abaixo e acesse um extenso documentário elaborado pelo History Channell sobre o Antigo Egito.

domingo, 4 de maio de 2014

As civilizações do Crescente Fértil e o Rito Escocês Antigo e Aceito - Egito (Parte 2)

     A segunda ligação importante do Rito Escocês Antigo e Aceito com o Egito Antigo refere-se ao período de aproximadamente 430 anos em que o povo hebreu, conduzido por Jacó (ou Jacob, ou Yaakov, ou Israel), foi morar na fértil região de Gósen, próxima ao delta do rio Nilo, a convite do faraó, sendo depois escravizado.
Percurso das doze tribos de Israel, partindo de Canaã rumo a Gósen. Essa era uma área fértil na região onde Rio Nilo deságua no Mar Mediterrâneo. 
    Na saída da árida região de Canaã para as terras do Egito, Jacó foi acompanhado por seus onze filhos.
   Nessa época, José (que também era filho de Jacó) já ocupava no Egito o posto de ministro do faraó.
   Durante o período em que permaneceram no Egito, José e seus onze irmãos deram origem às doze tribos de Israel
    Os doze filhos de Jacó (ou Israel) que se estabeleceram no Egito e originaram as doze tribos foram: Rubén, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Asser, Issacar, Zebulom, José (Efraim e Manassés) e Benjamim.
   A tribo oriunda de Levi, foi  designada para a realização das tarefas religiosas e não possuía um território próprio.
  A tribo de José foi dividiu-se nas tribos de Efraim e Manassés.
    Os 12 filhos de Jacó foram gerados com 4 mulheres, sendo duas esposas (Raquel e Lia) e duas concubinas (Bila e Zilpa), com a seguinte filiação: 
     Com o passar do tempo, após a morte do antigo do faraó e o rápido crescimento populacional das 12 tribos de Israel, o novo faraó, receoso do grande número de israelitas, decidiu escravizar o povo hebreu, a fim de mantê-lo totalmente sob controle. 
    Após serem tomados como escravos, os hebreus, que até então eram um povo agrícola, tiveram que aprender o ofício da alvenaria, e passaram a trabalhar para os egípcios na construção de templos, palácios e aquedutos. Ou seja, é nesse período que os hebreus têm seus primeiros contatos com a Arte Real, uma ocasião importante em que assimilaram as técnicas que iriam utilizar posteriormente na construção do Templo de Salomão
Os hebreus eram utilizados na confecção
de tijolos e nas diversas construções egípcias
    No Rito Escocês Antigo e Aceito, o Grau 19 (Grande Pontífice, ou Sublime Escocês) trata dos nomes das 12 tribos de Israel e descreve seus significados, tendo como ponto de partida o estudo da Jerusalém Celeste (link para entender o que é a => Jerusalém Celeste).
    De acordo com o Livro da lei (ou Bíblia Sagrada), as 12 portas da Jerusalém Celeste receberão os nomes de cada uma das 12 tribos de Israel.
Painel do Grau 19 (Grande Pontífice)
com a Jerusalém Celeste ao centro.

sábado, 3 de maio de 2014

Convocação para a sessão de 15.05.2014 (Elevação ao Grau 32)

    A Administração do Mui Poderoso Consistório de Príncipes do Real Segredo Nº 1 comunica aos maçons dos Graus 32 e 33 e regulares com o Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito que, às 18:00 horas do dia 15 de maio de 2014, será realizada a Sessão Magna de Elevação ao Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo), na Câmara Filosófica do Consistório Nº 1, localizada na Sede do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para Rito Escocês Antigo e Aceito, sito no Campo de São Cristóvão nº 114, bairro de São Cristóvão, Rio de Janeiro - RJ.
    Sendo assim, os maçons pertencentes ao quadro de obreiros do Consistório Nº 1 estão convocados para participarem da sessão.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Personagens do Grau 32 (Beseleel e Ooliab) - Vídeo

    Complementando o estudo sobre Beseleel e Ooliab (link para o estudo sobre => Beseleel e Ooliab), personagens do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo), clique na imagem abaixo e acesse o vídeo  que dramatiza o recrutamento desses dois hebreus, que foram os principais artesãos responsáveis pela fabricação dos utensílios sagrados (os candelabros, a Arca da Aliança (ou Arca do Concerto), os altares, as mesas etc.) usados nas cerimônias do Tabernáculo Hebreu.