domingo, 28 de junho de 2015

Sessão do dia 15 de junho de 2015 (Instrução do Grau 31)

    No dia 15 de junho de 2015, o Mui Poderoso Consistório de Príncipes do Real Segredo Nº 1 realizou a sessão ritualística de instrução do Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador) do Rito Escocês Antigo e Aceito, cujo tema foi Resenha sobre o Ritual do Grau 31, a qual foi ministrada pelo Comandante-em-Chefe do Consistório Nº 1, MILTON ANTÔNIO GRAÇA DO SACRAMENTO.
   Foram estudados a histórias, a simbologia, a mitologia, a doutrina e os mistérios do Grau 31, através da narrativa dos fatos e de personagens, que incluíram: o Tribunal da Santa Vehme, Frederico II, rei da Prússia, o Decálogo de Moisés, o Tribunal de Osíris e a deusa Têmis, a divindade grega da Justiça.
O Tribunal de Osíris é uma alegoria que simboliza a
inevitável aplicação da Justiça divina após a morte.
   Os maçons que compareceram à sessão ritualística receberam gratuitamente um exemplar do livro Roteiro do Portugal Templário, de autoria do historiador e pesquisador PEDRO SILVA.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Homenagem a São João, padroeiro da Maçonaria (2015)

    Os ensinamentos maçônicos afirmam que São João é o padroeiro da Maçonaria. Contudo, não existe um consenso sobre qual São João é o nosso verdadeiro patrono.
   Para não errar, o Blog do Consistório Nº 1 homenageia hoje, dia 24 de junho de 2015, os três mais conhecidos candidatos a Padroeiro da Maçonaria.

I - São João Batista (ou São João, o Batista)
    João Batista foi um eremita, profeta e pregador que viveu na Judeia, no início do Século I. 
   Conforme narra a Bíblia, o título de batista referia-se ao fato de João Batista pregar o arrependimento dos pecados e, posteriormente, batizar os arrependidos.
João Batista era pregador na Judeia,
e atuava nas proximidades do rio Jordão.


    João Batista, além de anunciar a vinda do Messias, foi um severo crítico do governo romano na Judeia, tendo sido, por isso, perseguido e executado.
   A morte de João Batista, decapitado, possui forte significado maçônico. Simbolizando a mensagem de um homem que prefere ter a garganta cortada, a negar a sua Verdade pessoal.

II - São João Evangelista (ou São João, o Evangelista, ou Apóstolo João)
     O apóstolo João foi o mais jovem dos doze discípulos de Jesus Cristo, e viveu entre os anos 6 e 103 da Era Cristã.
   De acordo com o Livro da Lei, João foi o mais fiel discípulo e acompanhou Jesus até o instante da sua crucificação, no Gólgota.
O apóstolo João escreveu o
Apocalipse durante o seu exílio
 na ilha de Patmos, na Grécia.
   As obras bíblicas atribuídas a João Evangelista são: suas três Epístolas, o Evangelho segundo São João e o Livro do Apocalipse. Nesse último livro, o apóstolo narrou sua visão profética dos Últimos Dias e a vinda da Jerusalém Celestial, estudada no Grau 19 (Grande Pontífice, ou Sublime Escocês) do Rito Escocês Antigo e Aceito.
Link para o estudo sobre => Jerusalém Celeste


    Maçonicamente, o exemplo de vida deixado por São João Evangelista, ressalta a fidelidade, o companheirismo e a lealdade como virtudes maçônicas fundamentais.
    A fim de ilustrar a vida de João, o Evangelista, seguem abaixo três links para o filme Apocalipse, estrelado por RICHARD HARRIS.
Link para o filme => Apocalipse (Opção 1)
Link para o filme => Apocalipse (Opção 2)

III - São João de Jerusalém (ou São João Esmoler, ou São João Esmoleiro, ou São João Elimosinário)
    São João de Jerusalém nasceu em Chipre, no ano de 550 depois de Cristo.
  Ao longo da vida sacerdotal, São João Esmoler foi patriarca e bispo da cidade de Alexandria, no Egito, onde desenvolveu um trabalho de filantropia destinado aos pobres.

Durante o bispado em Alexandria,
João Esmoler chegou a distribuir
bens da própria Igreja para os pobres.
   São João Esmoleiro atuou também na cidade de Jerusalém, onde criou organizações (pequenos hospitais e abrigos) destinados a socorrerem os cristãos feridos e peregrinos que visitavam o Santo Sepulcro e a Cidade Santa. Essas organizações estão na origem da criação da Ordem de São João de Jerusalém (ou Ordem dos Cavaleiros Hospitalários), posteriormente denominada Soberana Ordem Militar e Hospitalar de São João de Jerusalém, Rodes e Malta (link para => Ordem de São João de Jerusalém, Rodes e Malta).
   O exemplo de São João Esmoler está diretamente relacionado à caridade e à fraternidade que devem inspirar o comportamento maçônico.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

O profeta Daniel e o Rito Escocês Antigo e Aceito

     Nos ensinamentos do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo) do Rito Escocês Antigo e Aceito, o profeta bíblico hebreu Daniel (ou Beltessazar) é um dos importantes personagens estudados.
     De acordo com a tradição bíblica, após Nabucodonozor II, rei dos babilônios, atacar e dominar a cidade de Jerusalém, o Templo de Salomão foi saqueado e destruído e os israelitas foram presos e levados como escravos para a Babilônia.
Os hebreus permaneceram aproximadamente
70 anos em cativeiro na Babilônia. 
    Durante o cativeiro dos hebreus, Daniel, juntamente com Ananias, Mizael e Azarias (ou, respectivamente, Beltessazar, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego) foram selecionados entre os aprisionados para trabalharem no palácio do rei Nabucodonozor II.
      No período em que trabalhou no palácio real, Daniel revelou-se um grande profeta e realizou a interpretação de dois importantes sonhos: o primeiro foi um sonho do rei Nabucodonozor II e o segundo, um sonho dele mesmo, Daniel.
O rei Nabucodonozor II narrou a Daniel que havia sonhado 
com uma enorme estátua, a qual era destruída por uma grande pedra.
    Clique nos links abaixo para conhecer e entender a interpretação dos sonhos de Daniel e do rei Nabucodonozor II.
Link para => O sonho de Daniel 

    No que se refere ao Rito Escocês Antigo e Aceito, a mensagem do profeta Daniel pode ser relacionada à fé que o Homem deve depositar em Deus, visto que a história bíblica desse profeta, bem como as suas predições, reforçam a crença em Deus como o Supremo Árbitro dos destinos da Humanidade.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Indicação de site maçônico (Loja Simbólica Monte Ararat)

     A indicação de site sobre a Maçonaria é a página da Loja Monte Ararat, localizada no município de São Gonçalo, no estado do Rio de Janeiro.
Links para Loja Monte Ararat => Opção 1 Opção 2
   A Augusta e Respeitável Loja Simbólica Monte Ararat Nº 0552 é uma das mais importantes e tradicionais oficinas maçônicas localizadas na Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro.
   A Loja existe desde 16 de janeiro de 1897 e teve em seu quadro de obreiros homens proeminentes nas áreas da política, da sociedade em geral e da Maçonaria, entre eles: Nilo Peçanha, Lauro Sodré, Mário Behring e Octavio Kelly.
    No imóvel da Loja Monte Ararat funcionam também: a Augusta Loja de Perfeição Monte Ararat, o Sublime Capítulo Rosacruz Monte Ararat e o Ilustre Conselho de Kadosh Nº 71.
    Além das informações maçônicas, o site da Loja Monte Ararat divulga diversos link úteis de órgãos de prestação de serviços.
    A visita à página da Loja Monte Ararat permite ao interessado conhecer a história, o funcionamento e os personagens de um importante baluarte das Maçonaria Fluminense e Brasileira.
Fachada da Loja Monte Ararat.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

A Ordem dos Cavaleiros Templários, a Reconquista Ibérica e o Rito Escocês Antigo e Aceito

    Nos estudos do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo) do Rito Escocês Antigo e Aceito, a campanha militar proposta por Frederico II, rei da Prússia, está ligada ao antigo objetivo da Ordem dos Cavaleiros Templários, que era garantir a permanência da religião cristã na Palestina.
     Durante a Idade Média, no período das Cruzadas, os Cavaleiros Templários deram apoio militar à retomada da Península Ibérica, a qual se encontrava, desde o século VII, invadida pelos mouros (povos muçulmanos oriundos da África e da Península Árabe). Esse apoio criou fortes vínculos entre a Ordem dos Templários e o reino de Portugal.
   Segundo alguns autores, entre eles o pesquisador português PEDRO SILVA, no século XIV, após a extinção da Ordem dos Templários, o patrimônio da Ordem teve três destinos principais.
PEDRO SILVA escreveu os livros: Roteiro do Portugal Templário 
e Templários, História Integral.

    Uma parte foi destinada à Ordem dos Hospitalários (atual Ordem de Malta), a qual tinha sua sede na cidade de Rhodes, na Palestina, e posteriormente na região de Malta, ao sul da Sicília. 

Diferentemente dos Templários, a Ordem dos 
Hospitalários possuía mulheres em suas fileiras. 
    Outra parte dos bens foi confiscada pela coroa francesa, através do rei Felipe, o Belo.
   A terceira parte do patrimônio foi entregue aos monarcas da Península Ibérica, como reconhecimento às suas grandes doações à Ordem do Templo, durante a época da retomada dos territórios ibéricos contra os mouros (Período da Reconquista Ibérica).
A Reconquista da Península Ibérica teve início pelo norte, a partir
da reação dos reinos de: Leão, Castela, Navarra e Aragão.

    Acesse o link abaixo para assistir o vídeo que narra o período da invasão dos mouros em Portugal e a posterior reconquista do território pelos portugueses. 
   Especificamente em Portugal, no ano de 1319, os bens e a estrutura militar da extinta Ordem dos Templários foram transferidos pelo Papa João XXII para a recém-criada Ordem de Cristo, a pedido de Dom Dinis, rei de Portugal.
Durante as Grandes Navegações, as caravelas portuguesas 
exibiam na velas, o símbolo da Ordem Cristo.
    Na Maçonaria, a Ordem dos Cavaleiros Templários influenciou profundamente a formação do Rito Escocês Antigo e Aceito e do Rito Escocês Retificado.

      No Rito Escocês Antigo e Aceito, o Grau 29 (Grande Cavaleiro de Santo André), o Grau 30 (Cavaleiro Kadosh) e o Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo) são os principais exemplos de graus relacionados à tradição da Ordem dos Cavaleiros Templários. 

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Convocação para a Sessão de 15.06.2015 (Instrução do Grau 31)

        A Administração do Consistório Nº 1 comunica aos maçons dos Graus 31, 32 e 33 e regulares com o Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito que, às 18:00 horas do dia 15 de junho de 2015, será realizada a sessão instrução do Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador), na Câmara Filosófica localizada no Complexo Arquitetônico do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para Rito Escocês Antigo e Aceito, no Campo de São Cristóvão nº 114, bairro de São Cristóvão, Rio de Janeiro - RJ.
       A instrução será ministrada pelo Comandante-em-Chefe do Consistório Nº 1 e o tema será: Resenha do ritual do Grau 31, onde serão tratados: a história, a liturgia, a simbologia e os mistérios desse Alto Grau.
A tetráctys de Pitágoras é um dos assuntos estudados no Grau 31.

      Essa instrução é fundamental para que os maçons do Grau 31 (Grande Inspetor Inquisidor Comendador) e do Grau 32 (Sublime Príncipe do Real Segredo) entendam a doutrina que engloba os Graus Administrativos do Rito Escocês Antigo e Aceito. 
   Sendo assim, os maçons pertencentes ao quadro de obreiros do Consistório Nº 1 estão convocados para participarem da sessão.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Calendário Anual das Sessões Ritualísticas (2015)

     O Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito divulga no seu site o calendário anual das sessões ritualísticas dos Altos Corpos que funcionam no seu Complexo Arquitetônico, localizado no bairro de São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro.
   Clique no link abaixo e acesse o Calendário Anual das Sessões Ritualísticas para o ano de 2015.